quarta-feira, 12 de novembro de 2014

SUB - DROP

Sub-Drop é um fenômeno tanto fisiológico quanto psicológico, que consiste na baixa de endorfinas e sentimento de privação em relação ao Dominante após uma sessão. Muitos tem dificuldade em identificar uma situação de sub-drop, principalmente por se manifestar de formas tão diferentes de pessoa para pessoa.
Principais Sintomas:
  • Sentimentos de depressão
  • Ansiedade
  • Sensação de separação ou distância entre submisso e Dominante
  • Fadiga
  • Tristeza
  • Dor
  • Irritabilidade
  • Depressão
  • Sensação de ressaca
  • Negação
  • Culpa
  • Medo
  • Sensação de solidão
Sub-Drop é um assunto sério e pode levar um submisso a depressão com apenas uma sessão, a liberação de endorfinas e opióides durante uma sessão deixa o corpo em um estado tão alterado que acaba levando tempo para o corpo conseguir reencontrar o equilíbrio certo dentro do sistema do sub.  Algumas pessoas tendem a se recuperar em questão de horas, mas outros exibem sinais de sub-drop durante semanas.
Geralmente as pessoas que estão em relações mais casuais e que não envolvem grande comprometimento, tem tendência menor ao Sub-Drop, a razão para isso é que as relações casuais não possuem o mesmo peso da intimidade que existe em relações mais longas.
Devido a quantidade de energia e atenção dedicada ao seu Dominante e os limites que são testados com mais frequência, as cenas podem ser mais extremas. Relações muito casuais tendem a não se desenvolver dessa forma, fazendo com que a confiança e a necessidade de ultrapassar limites não seja tão pronunciada.
As emoções que podem surgir durante e depois de uma cena precisam ser resolvidas, não mantenha essas emoções presas.
Escreva, converse e mantenha um canal de comunicação aberto com seu parceiro, ele pode te ajudar a superar essa fase.
É importante que o submisso aceite que em algum momento isso pode acontecer e saiba identificar os sinais e talvez montar um plano de emergência para situações em que seu Dominador não poderá estar presente.
Já o Dominante deve se manter sempre alerta para esses sinais, geralmente em ocasiões onde ocorre um sub-drop, um cuidado pós-sessão mais intenso se fará necessário. Paciência é mandatória, esse é um dos momentos em que o bottom se sente mais vulnerável e geralmente é onde precisa de afirmação dentro do seu papel na relação. o Sub-Drop pode ser evitado com um acompanhamento regular ao estado do submisso, então atenção extra pode ajudar, seja saindo para tomar um sorvete ou apenas para jogar papo fora, não esqueça que esse não é o momento certo para exercer seu sadismo.
O importante aqui é se lembrar que esse estado é temporário e que se for abordado da forma correta será algo fácil de ser superado ;)
FONTE: http://feticheclub.com.br/sub-space-sub-drop-e-sub-burnout-por-ladyeve26/

SUB - SPACE

Sub-Space

É um estado psicológico alterado que é alcançado por um bottom durante uma cena. A grande maioria das pessoas associa o BDSM ao seu aspecto físico e acaba esquecendo dos aspectos psicológicos, que devem ser considerados durante toda cena.
Sub-space é muito parecido com um transe hipnótico, onde a pessoa consegue mentalmente se separar do ambiente enquanto processa a experiência. Geralmente acontece quando o bottom se aprofunda e foca mais nas sensações físicas da brincadeira, o mundo pode desaparecer restando apenas o bottom, o Top e o que está acontecendo.
A sensação dupla de prazer e dor gera uma resposta do sistema nervoso simpático, que causa a liberação de epinefrina das glândulas suprarrenais  e uma descarga de endorfinas e encefalinas.
Essa mistura de químicos tem um efeito parecido de drogas como a morfina, gerando um tipo de anestésico natural aumentando a tolerância de dor do bottom induzindo um estado de euforia e algo relatado como experiência “fora do corpo”.
Esse estado mental pode durar horas ou dias, alguns ficam com aquele brilho durante semanas.
Embora pareça muito atraente o Sub-space cria um estado mental que impede o pensamento racional e afeta a capacidade de tomar decisões, é um estado que precisa ser monitorado constantemente tanto física como mentalmente para garantir a segurança do bottom envolvido.
Então por mais que pareça atrativo o Top tem que se manter alerta e saber quando diminuir o ritmo e parar a cena. Muitos bottoms, quando em profundo estado de Sub-space perdem a noção dos limites próprios e acabam colocando a própria segurança em risco, pedindo por mais e insistindo na continuidade da cena, nas mãos de um Top inexperiente ou sem entendimento dos perigos do Sub-Space pode ser algo extremamente perigoso para o bottom.

FONTE: http://feticheclub.com.br/sub-space-sub-drop-e-sub-burnout-por-ladyeve26/

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

DICA DE LEITURA - sim, Senhor


Sinopse - sim, Senhor - Livro 1 - Danúbia Ferreira

Nem sempre fui uma boa menina. Esse meu comportamento foi lapidado através de muita disciplina. Passei por momentos difíceis para chegar aqui. Minhas experiências ao longo do caminho foram dolorosas. Nunca me importei com as consequências, desde que obtivesse minhas repostas. Pensamentos errôneos me colocaram em situações embaraçosas. Tive que controlar meu lado impulsivo e aprender a esperar. Aprendi de uma forma dolorosa a nunca confiar em qualquer pessoa. Conheci um mudo novo e entrei nele de cabeça. Lutei com unhas e dentes para pertencer o Dono de mim... Sou um homem extremamente exigente e perfeccionista. Levo o meu trabalho no clube muito a sério. Para muitos, o BDSM é um fetiche; para a sociedade, uma perversão. Para mim, um estilo de vida. Gosto do que é bom, do que me completa. Gosto de um desafio e sei reconhecer um quando vejo. Ela era indisciplinada e muito rebelde, mas tinha uma sensualidade cativante e um olhar penetrante. Talvez aqueles olhos penetrantes pudessem me dar o que tanto procurava. 

domingo, 2 de novembro de 2014

ENDORFINA O VÍCIO DO PRAZER

A endorfina é um neurotransmissor, assim como a noradrenalina, a acetilcolina e a dopamina, e é uma substância química utilizada pelos neurônios na comunicação do sistema nervoso. É um hormônio, uma substância química que, transportada pelo sangue, faz comunicação com outras células.
Sua denominação se origina das palavras "endo" (interno) e "morfina" (analgésico).
As endorfinas foram descobertas em 1975. Foram encontradas 20 tipos diferentes de endorfinas no sistema nervoso, sendo a beta-endorfina a mais eficiente pois é a qual dá o efeito mais eufórico ao cérebro. Ela é composta por 31 aminoácidos.
A endorfina é produzida em resposta à atividade física, visando relaxar e dar prazer, despertando uma sensação de euforia e bem-estar.
Efeitos principais das endorfinas:
* Melhoram a memória;
* Melhoram o estado de espírito (bom humor);
* Aumentam a resistência;
* Aumentam a disposição física e mental;
* Melhoram o nosso sistema imunológico;
* Bloqueiam as lesões dos vasos sanguíneos;
* Têm efeito antienvelhecimento, pois removem superóxidos (radicais livres);
* Aliviam as dores;
* Melhoram a concentração.
Pesquisas recentes
Atualmente sabemos que a endorfina é produzida na hipófise e liberada para o sangue juntamente com outros hormônios como o GH (hormônio do crescimento) e o ACTH (hormônio adrenocorticotrófico) que estimula a produção de adrenalina e cortisol.
Nos últimos trinta anos autores como Harber & Sutton, McGowan, Shyiu, Hoffmann e Heitkamp muito contribuíram para o que hoje se conhece sobre endorfina.
Estudos recentes apontam que a endorfina pode ter tanto um efeito sobre áreas cerebrais responsáveis pela modulação da dor, do humor, depressão, ansiedade como pela inibição do sistema nervoso simpático (responsável pela modulação de diversos órgãos como coração, intestino etc.). Elas podem também regular a liberação de outros hormônios. Provavelmente parte da capacidade da acupuntura em aliviar a dor seja devida ao estímulo da liberação de endorfinas. Uma vez estimulados pelas agulhas nos terminais nervosos ("pontos") é gerado um impulso para aumentar a liberação de neurotransmissores no complexo supressor de dor, ou seja, é produzido o efeito analgésico na região cerebral.
O consumo de chocolate e pimenta também estimula a produção de endorfina. A endorfina também é liberada após aproximadamente 30 minutos de exercícios físicos aeróbicos, como por exemplo: uma leve corrida.
Em resumo em uma teoria:
A dor do spanking junto com a imaginação da fantasia da sessão faz que a submissas sentem nas sessões, fazem elas sentir prazer, felicidade e chega ao orgasmo com maior intensidade que as mulheres baunilhas.
Por isso que, quem provou as sessões de BDSM, nunca sentira em qualquer relação baunilha o prazer que sente.
Será que e um novo vicio? Ou um vicio já bem conhecido desde a antiguidade?

FONTE: facebook grupo BDSM SP