segunda-feira, 7 de agosto de 2017

PROJETO LUXÚRIA 11 ANOS



    Rua Aurora, 710, República, São Paulo - SP, 01209-001, Brasil
Mande sua lista aqui LISTALUXURIA@GMAIL.COM

        Seguem os valores de entrada, de acordo com os trajes:

              SEM DRESS CODE R$150 ENTRADA OU R$200 CONSUMO

          DRESS CODE NO TEMA.R$60 ENTRADA OU R$100 CONSUMO

                  AMIGOS DO LUXURIA R$50 ENTRADA OU R$70 CONSUMO

           NOMES e INFORMAÇÕES NA listaluxuria@gmail.com 
ATÉ ÀS 18:OO DO DIA 12/8

*ESTACIONAMENTO AO LADO


                                    

NEGOCIAÇÃO OU MANIPULAÇÃO?


Bom, foi instigado a escrever este texto pois há muita confusão sobre o que é de fato uma negociação e qual seria o limiar entre negociar e já estar abusando.
O que causa literalmente espanto são pessoas absolutamente novatas e sem nenhuma experiencia que já saem negociando uma coleira, ou falamos assim, uma D/s.
Parece que o meio BDSM se tornou, de fato, um lugar onde arranjar namorado ou marido, com a agravante de que, sendo inexperiente e não sabendo negociar, o bottom corre mais riscos de ser vítima de abuso do que em uma relação baunilha.
Pessoas novatas não deveriam NUNCA ir para uma negociação sem saber o que estão fazendo.
Podemos ter várias formas de negociação e várias fases que não implicam em nenhuma D/s e sobre tudo, na fase de negociação, ambas as partes são livres e nada devem uma à outra.
Se em negociação está uma sessão avulsa, não é preciso todo o elenco de condições da negociação de uma relação TPE 24/7, pois a TPE(TPE - Total Power Exchange - Troca total de Poder. Um dos estilos de relação D/s).  será somente momentânea durante a sessão. O que será preciso saber é quais são os limites e as práticas admitidas e estabelecer uma safe-word para entender se está tendo algum tipo de problema. Se é uma sessão de adestramento pedida por outro Dominante pela sua posse, é preciso entender o objetivo do adestramento e mais tudo quanto dito antes... muito simples!


Se o objetivo é uma TPE 24/7, a negociação pode seguir por etapas, e pode ter sessão sim, desde que sejam negociadas as condições de uma sessão... É obvio que não se irá direto ao limite do bottom, nem se darão ordens inconsequentes... 
É muito útil frisar que durante a negociação, o bottom deve poder expressar livremente tudo que quer colocar como condições, sem nenhuma restrição, e que o TOP deve saber escutar e avaliar.
Uma sub que queria começar a entrar no meio, deveria ter alguém para guia-la, um Mentor, alguém que a ajude sem nunca fazer sessão alguma, sem dar ordens, somente conselhos. Ela poderá fazer algumas sessões avulsas (onde não há perda de poder além da sessão em si, nem se deve obediência, nem anterior, nem posterior) com algum Dominante experiente e confiável, de forma a avaliar se o que quer está sendo alcançado, avaliar se ela é mesmo uma sub, se quer continuar, conhecer a si mesma e o meio, experimentar e saber como as coisas funcionam, e somente depois procurar, eventualmente, uma D/s. 
Agora os valores estão invertidos, a D/s vem mesmo antes de saber se a sub é realmente sub ou não! 
Muitas pessoas têm sede de ir ao pote e nenhuma vontade de adquirir experiencias...
Há um grande risco no entrar em uma negociação sem saber onde se está pisando... as pessoas não experimentam e não vivem nada do BDSM, para se jogar direto em uma negociação de transferência total de poder. Seria como nunca ter dirigido um carro, ler alguns artigos de automobilismo e pegar uma Ferrari para correr a 350km por hora... a chance de um acidente fatal é altíssima.
Caso a sub queira mesmo sem experiencia alguma, proceder incautamente em uma negociação D/s, pelo menos precisa saber de algumas coisas que são pilares do BDSM.
1) Avalie o histórico REAL do seu talvez futuro Dom. Ele teve outras posses? Quem são? Porque a relação terminou? Procure entrar em contato com outras pessoas do meio que conheçam o seu provável futuro Dom e lhe falem sobre ele. Procure uma sub do passado para trocar ideia. Ele não quer que você converse com ninguém do meio? Então é um manipulador sem escrúpulos que está tentando te manipular. Cai fora!
2) Durante a negociação você não é de ninguém. Você não é sua menina, não é posse, não é nada. Ele não é teu Senhor, nem teu amor, nem teu namorado. Você é uma pessoa que está livremente avaliando se uma outra pessoa pode ou não satisfazer seus desejos.
3) Durante a negociação você não deve obediência a ninguém. Ninguém pode te dar tarefas a cumprir ou castigos durante uma negociação. O porque disto? A negociação é um espaço livre, onde cada um expressa desejos, anseios, temores, limites. Se você se encontra em posição submissa durante a negociação, se alguém te obriga a fazer algo, você está sendo MANIPULADA. Caia fora! Este negócio de testar a obediência na negociação com tarefas e punições... É uma piada... Somente uma desavisada cai neste golpe de um manipulador...
4) Se o seu provável futuro Dom, argumenta que o sexo é preciso na fase de negociação, que ele quer te testar, preste atenção. As sessões durante uma negociação devem ser sempre entendidas como avulsas. Termina a sessão, termina também a cessão de poder e você volta a ser livre... sessões realizadas com o estilo sexo sem compromisso, zero poder real, mas com tomada de poder que extrapola a sessão, tarefas que são passadas e punições na negociação, são simplesmente abuso e não tem nada a ver com BDSM!.
5) A oferta de uma coleira é uma coisa séria, seja ela de consideração, de proteção ou de qualquer tipo. Colocaria uma aliança e declararia um casamento, após uma semana de conhecimento de uma pessoa pela internet? Não? Então porque negocia coleira desta forma depois de três papos picantes? A banalização da coleira traz, porém, problemas graves. Muitas subs se entregam a todos os desejos do presumido dominante sob pena de perder a coleira (manipulação) ou de ser difamada como sub que não vale nada porque não consegue agradar seu dono.
Enfim, não quero ser exaustivo, também porque este assunto pode dar dez livros de 1000 paginas cada... 


CRÉDITOS:
Jack Alexandre Napier
 Rainha Shekinah, da qual extrai várias ideias.